segunda-feira, 11 de maio de 2015

Dieta paleo ou apenas comendo comida de verdade

Como eu tenho procrastinado para escrever esse post, mas não me entendam mal.

Já tem quase um ano que mudei um pouco minha alimentação e principalmente a forma como lido com a comida e com o espelho. Se for preciso rotular, chamo de dieta paleo, senão digo apenas que como comida de verdade.

Não gosto dessa nomenclatura "dieta paleo", porque acho que ela automaticamente traz uma interpretação errônea e é facilmente ridicularizada pela indústria alimentícia que está aí para fazer isso mesmo: dizer que comer como nossos ancestrais é antiquado e que o certo é ter sempre sua barrinha de cereal na bolsa. É isso que dá lucro, não é? Pois bem, só decidi assumir esse "título", porque as pessoas que me abriram os olhos e me fizeram me sentir muito mais em paz comigo também se denominam assim.

Eu li muitos artigos, alguns livros e ouvi inúmeros podcasts para descobrir que a paleo não é a dieta da proteína, não é low carb, não é a dieta do bacon (eu nem gosto de bacon...) e não necessariamente elimina grãos, frutas ou qualquer outro alimento. Como sempre deveria ser, a individualidade biológica é que determinará qual é o protocolo ideal para cada um. Em um mundo ideal, saberíamos ouvir nosso corpo e por intuição selecionaríamos o que é melhor para ele... na vida real, um nutricionista paleo daria o suporte perfeito para encontrarmos nosso caminho.

Mas o que mais me encanta é que a paleo não fala só de alimentação, mas de tudo aquilo que podemos fazer na busca por mais saúde. Dormir o suficiente, administrar o estresse, movimentar o corpo, pegar sol, evitar substancias tóxicas (como o BPA que já falei aqui) e etc.

Quem acompanha o blog há mais tempo sabe que eu sempre fui a favor da comida de verdade e pode estar se perguntando o que mudou afinal. No meu caso, as principais mudanças foram perder o medo da gordura, comer somente quando sinto fome e eliminar adoçantes ao máximo. Continuo não sendo radical, mas me sinto extremamente empoderada em ser capaz de escolher o que coloco no meu corpo, sem influência da compulsão e tampouco da neura. Isso é liberdade :)

No início eu fiz a ceto-adaptação (adaptar o corpo a usar gordura como fonte de energia) e me alimentava praticamente seguindo os instintos da fome... agora depois de dez meses nesse novo estilo é que comecei a pensar na parte estética de novo e estou arriscando novas estratégias. Para matar um pouco da curiosidade, já estou comendo muito mais carbo (do bem!) do que antes.

Aí tem um resumo do que comi esses tempos. Peixe, frango, ovos, iogurte natural, frutas ... o bolo é de cenoura com chocolate, receita do livro "Barriga de Trigo".
O broto de feijão e o chucrute fiz em casa =D

Nos próximos posts conto como iniciei, os sustos bons e ruins, além do resultado no físico. Para quem tem interesse e não sabe por onde começar, fiz um "blog roll" ali à direita com as páginas que me ajudaram nesse processo. O meu preferido com certeza é o blog do Dr. Souto e o livro A Dieta da Mente de David Perlmutter.

Compartilho também um vídeo muito explicativo de Chris Kresser, uma das pessoas da comunidade paleo que falam sobre o assunto de forma mais natural... exatamente como sinto que deve ser :)



Bjs

6 comentários:

  1. Ola Gi!
    Amei o post!
    Agora vou assistir o vídeo, deve ser bastante interessante.
    Um grande abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lia!
      É mt interessante sim, até pq ele é como eu, a favor da comida de verdade acima de tudo. Adoro essa forma simples de falar sobre alimentação :)

      Bjss

      Excluir
  2. Adorei gi...sou da geração fit que acompanhou vc, dany, lidi pacheco. E tb virei paleo esses dias. Tô em lipo adaptação e amando já tudo!!! Mta liberdade!
    acompanhando seus post...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que legal, Carol! Sinto falta da nossa "família fit", sabe? Muitas coisas são melhores hoje em dia, mas todas as etapas foram igualmente necessárias.
      Obrigada por continuar por aqui :)

      Bjs

      Excluir
  3. Oi, Gi! Eu A-MO o Chris Kresser (meu xará)!
    Um beijo e parabéns pelo blog!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Chris! É um prazer te ver por aqui!
      Aprendo demais com vc :)

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...